Notícias

Resistance Rio: O que você precisa saber
3
1446
0
quarta-feira, 20 setembro 2017
notícia

Resistance Rio: O que você precisa saber

 

A menos de um mês para a próxima edição do Ultra Music Festival Brasil, que retorna ao país nos dias 12, 13 e 14 de outubro, não podemos deixar de comentar o line-up arrebatador do palco Resistance. Até o momento conhecemos a 1ª e 2ª fase, que similar ao ano passado, conta com nomes representativos da refinada cena underground global.

“Resistência: recusa a submeter-se à vontade de outrem; oposição, reação. [..]”

O palco Resistance surgiu em 2015, ano que estreou no Ultra Miami. Nasceu com o objetivo de ser o lar de batidas mais profundas e sombrias. Esta concepção musical já existia no festival graças a participação massiva do consagrado DJ Carl Cox com seu showcase Carl Cox & Friends no palco "Megastructure". Em fevereiro de 2016 o DJ e produtor foi anunciado como embaixador global do Resistance, que agora se reposiciona não apenas como um palco, mas sim como uma marca derivada do Ultra.

Nesta matéria vamos citar o que você precisa saber sobre as atrações até agora divulgadas do palco Resistance.

O primeiro dia do festival começa com o b2b de Sasha e John Digweed, parceria que não se via desde meados de 2010. A dupla vai encabeçar a programação do dia 12 de outubro no sambódromo da Marques de Sapucaí. Os britânicos considerados lendas do house progressivo foram anunciados em turnê global sob o banner do Resistance. Na mesma noite, Jamie Jones e Nic Fanciulli dividem o palco com eles. O primeiro, considerado em 2012 pelo site da Resident Advisor como o DJ número 1 do planeta é um DJ londrino que conseguiu alcançar em poucos anos um espaço que muitos produtores tentam alcançar a vida inteira. Levando uma variedade de estilos e mantendo uma assinatura de tocar fortes sons, Jones criou uma identidade musical admirada, além de um público mundialmente fiel. É um dos nomes por trás da aclamada Hot Creations, que apresenta dentre tantos artistas em seu roll, nomes como o brasileiro Volkoder, o francês Popof e o duo inglês Audiojack. Ainda no dia 12, Nic Fanciulli volta a se apresentar no palco Resistance. Produtor nomeado para o Grammy, Nic trabalhou com artistas tão diversos como Underworld, Kylie Minogue, U.N.K.L.E e Loco Dice.

O destaque do 2º dia é Adam Beyer. O sueco, cujo legado foi construído em cima de sua abordagem focada no techno, é um dos artistas mais respeitados e disputados do mundo. Fundador da Drumcode - gravadora célebre, lar, por exemplo do inglês Alan Fitzpatrick, que o 5uinto trouxe em abril de 2013 - sua apresentação é, com certeza, uma das mais aguardadas de todo o evento. O dia 13 ainda conta com Paco Osuna. Dono da Mindshake Records, o espanhol tem em seu currículo diversas residências em clubes lendários, dentre eles o Amnesia em Ibiza. Com mais de 20 anos de carreira, em 2016 recebeu o convite para se juntar ao seleto grupo de embaixadores do Model1 - mixer da marca PLAYdifferently, do seu amigo Richie Hawtin. Elio Riso também se apresenta no dia e é um dos grandes talentos que a Argentina tem a oferecer. Seu estilo varia entre techno e tech-house e recentemente entrou para a lista de residentes da marca Resistance. Outra atração de sexta é o Art Departament, assim como Riso e Fanciulli, volta a se apresentar no Rio de Janeiro este ano. O projeto canadense que nasceu em 2009 contava com a participação de Kenny Glasgow que deixou a dupla em 2015 para seguir carreira solo. O nome Art Department se manteve com Jonny White que permanece sozinho no comando das pick-ups, e segue colecionando hits nas mais diversas gravadoras como Get Physical, Crosstown Rebels, Fabric, sem deixar de citar a sua própria gravadora - a No.19 Music, por onde já passou Hot Since 82, atração da edição passada do palco Resistence.

No último dia de festival no Sambódromo, o palco não poderia fechar de maneira mais imponente: Considerado “uma das forças intelectuais do mundo da música eletrônica” pelo jornal The New York Times, o nome por trás dos selos M_nus e como co-fundador da Plus 8, junto à John Acquaviva, Richie Hawtin aka Plastikman é o esperado headliner da noite do dia 13. Visto como um dos grandes influenciadores do techno de Detroit, ele é um dos principais expoentes do minimal techno desde metade da década de 90. Na mesma noite apresenta-se Joseph Capriati, italiano apontado como um dos pontos-chave da gravadora Drumcode, ano passado lançou seu próprio selo - a Redimension. É residente da renomada noite Music On de Marco Carola e presente em festivais globais tais como Awakenings, Time Warp, Tomorrowland, dentre outros. Os americanos The Martinez Brothers fecham a lista de DJs que até agora temos conhecimento. O duo formado pelos irmãos Steven e Chris Martinez foi apadrinhado pelo “dinossauro” da house music, Denis Ferrer, onde através de sua label Objektivity, lançaram seu primeiro EP. Enquanto produzem grande quantidade de músicas, a dupla também dirige sua própria gravadora, chamada Cuttin' Headz, além da Tuskegee, em parceria com Seth Troxler. Uau! Lembrando que ainda há uma fase a ser anunciada!

É muito legal ver como nessa segunda edição há uma ênfase maior em linhas de som mais conceituais. Isso comprova como o Brasil tem público que dá grande valor a estilos mais sérios e sofisticados. Essa investida do ULTRA para com o line-up do Resistance segue o fluxo introdutório de outros selos alternativos no Brasil, como por exemplo Dekmantel e DGTL, ocorridos neste ano, e ainda o festival Elrow anunciado recentemente pela Plusnetwork. Essa movimentação cada vez mais forte na cena é entusiasmante para nós amantes de música eletrônica.

Aos ansiosos e felizardos que estão se preparando para esses três dias de puro êxtase sonoro, desejo boa viagem e que curtam ao máximo! Apesar do foco desta matéria ser o palco Resistance, o festival em si é uma experiência incrível! Desfrutar é a palavra de ordem!

Camila Brasil

joaokomka

101 posts | 0 comments